Prof. William Bottazzini Rezende

Prof. William Bottazzini Rezende

Diretor Acadêmico do Instituto Angelicum

É licenciado em História pelo Centro Universitário Claretiano. Como autodidata, aprendeu inglês, francês, alemão, espanhol, italiano, latim, grego e hebraico. Há mais de dez anos é professor de História e de línguas estrangeiras, além de tradutor de artigos e livros.

“Desde muito jovem, o ofício de ensinar me chama, convoca, intima. Ainda que lutasse contra o óbvio para mim mesmo em cursos como Relações Internacionais e Ciência Política, eu sabia qual seria, afinal, a minha profissão.

Comecei dando aulas de xadrez por volta dos catorze anos em um colégio particular como parte de um acordo para manter minha bolsa de estudos; depois, passei a ensinar alguns acordes de violão a amigos; em seguida, pus-me a instruir as pessoas em Matemática, Línguas Estrangeiras, História e Religião. Minha esposa, diga-se de passagem, conheci-a quando era professor de Matemática em um cursinho de Brasília. Passei mais tempo de minha vida dentro de instituições de ensino do que fora delas; atravessei os meus dias mais ensinando do que fazendo outra coisa. Educar é algo tão forte em mim que fiz de minha própria casa uma pequena escola.

Por isso, educação é um tema que me ocupa e preocupa. O tempo todo. Tenho muito que aprender, todo um oceano diante de mim, eu sei, mas reconheço que, pela graça de Deus, já acumulei nesta brevíssima trajetória o suficiente para encher um pequeno balde de onde eu posso tirar algumas gotinhas para compartilhar com outros. Não posso ficar restrito às paredes das salas de aula ou de minha casa. É preciso ir mais além.

Recentemente, tenho-me envolvido em diversos eventos para tratar de educação e contribuir na estruturação de novas escolas e na melhoria de algumas já existentes. Mas o modelo escolar não é o único nem o principal modelo educacional. A família, esta sim, é sempre a protagonista na educação das novas gerações e tem o papel insubstituível de cumprir este grave e sagrado dever. Sim, o centro educacional por excelência é o lar. Conscientes disso e insatisfeitas com a educação corrompida que encontram em torno de si, diversas famílias empreendem um esforço hercúleo para ofertar aos filhos uma educação digna deste nome e formá-los espiritual e intelectualmente para o mundo e, sobretudo, para o Céu. Eu disse que a educação está corrompida e nós o sabemos – mas isso, pela graça de Deus, já começa a mudar. Porém, ainda que as instituições de ensino ao redor fossem todas excelentes, cabe às famílias decidir se os filhos serão educados em uma escola ou em casa. No entanto, muitas famílias, por mais que se sintam atraídas pelo ensino domiciliar e mesmo tendo razão de sobra para isso, veem-se desorientadas e não sabem quando, como e por onde começar a educar os filhos em casa.

Assim, como diretor do Instituto Angelicum, incomodava-me o fato de ainda não ter feito nada, exceto algumas traduções e cursos, para dar um suporte maior a estas famílias que querem educar os filhos em casa ou que já o fazem. Apresentado por uma querida amiga ao Wesley Ayres, idealizador da Coop Brasil, começamos a traçar estratégias para fornecer às famílias os recursos necessários à orientação das atividades no lar. Mas antes de qualquer coisa, era importante ouvir essas famílias de todo o Brasil, olhar nos olhos de mães, pais e filhos, conhecer exatamente o que buscam e mostrar-lhes que estamos dispostos a contribuir nesta caminhada. Foi aí que começou o trabalho infatigável de minha querida amiga, meu verdadeiro braço direito, Lissandra.

Não poderia ser um evento qualquer. Com muito esforço e dedicação, demos vida a um evento que há de ser inesquecível por diversas razões. Em primeiro lugar, será um momento único de encontro entre as famílias para a troca de experiências e de ajuda mútua. Em segundo lugar, as famílias poderão participar de vários projetos e oficinas que acontecerão no evento. Em terceiro lugar, pesquisadores que se dedicam ao tema do ensino domiciliar (ou “homeschooling”) terão a chance de apresentar os seus trabalhos e fornecer as bases teóricas e metodológicas para o ensino domiciliar às famílias presentes. Em quarto lugar, os participantes terão o privilégio de assistir ao lançamento do livro de um dos maiores historiadores do Brasil, o professor Ricardo da Costa, cujo trabalho deve ser referência obrigatória para o ensino de História. Por fim, mas não menos importante, haverá a ocasião de aprender mais sobre educação e tirar dúvidas diversas com nomes como Gaba Costa, idealizadora do Simeduc, e Ricardo Dias, presidente da ANED, Associação Nacional de Educação Domiciliar, entre diversos outros. Também falará conosco Sua Alteza Imperial e Real, Dom Bertrand de Orleans e Bragança.

Mas e as crianças? Fique tranquilo, porque preparamos muitas coisas legais só para elas!

Enfim, todos os que desejam contribuir para melhorar o estado de coisas não só da educação, mas do Brasil como um todo, e estão dispostos a formar-se para isso, são nossos convidados de honra para o 1º Encontro de Famílias Educadoras Coop Brasil.

Estamos pensando na educação da forma mais abrangente possível, dentro e fora da escola. Esperamos que um dia o ensino domiciliar seja uma excelente opção entre tantas outras excelentes opções e não, como infelizmente ocorre em muitos lugares, a única. Mas não podemos pular etapas. Tudo tem um começo e esta é a sua chance de fazer parte dele.

Encontro você lá!

%d blogueiros gostam disto: